O Medo é a única emoção que nos limita…

Estamos diante da nova era, a era do masculino, na qual o homem pode mostrar o quanto é sensível e tem o direito até de chorar, ele não é mais responsável pela mulher, não tem a obrigação de pagar as contas sozinho, mas dividi-las.

Ele se torna responsável em participar da vida social, política, espiritual e principalmente familiar… Em resumo… Homem atual nasceu para saber se cuidar, e não para pagar para que uma mulher o cuide, coisa que aconteceu nesses últimos 7.000 anos

Hoje o homem pode se cuidar, merece saber se cuidar e se ainda não aprendeu, aprenda, desenvolva e tenha o prazer deste novo padrão de ser livre, acabar com a dependência que o faz ficar inseguro e infeliz… A mulher busca a igualdade nos papéis… “O masculino também o busca”.

Cada gênero defende seu direito de se sentir realizado e feliz, para isso temos que deixar evidente que o gênero feminino foi condicionado a cuidar da prole e na maioria das sociedades a cultura em relação a esse gênero foi quase que totalmente castrado, ensinado e obrigado a obedecer às imposições do “sexo forte”, o provedor retinha todo o poder, todas as ferramentas (Sabedoria, Poder, O dinheiro) para impor o domínio sobre o chamado sexo frágil, ou seja, uma sociedade imposta por valores masculinos.

Nesta nova era não apenas o masculino sofre com o machismo a que foram condicionados, mas a liberdade, a independência, a insegurança e o desapego são adjetivos que a maioria das pessoas buscam para se sentirem felizes.

Para eles era liberdade ter a outra, mas para elas não era aceito ter outros parceiros, se assim o fizessem eram excluídas da sociedade e tidas como promíscuas.

Ainda hoje em dia mulheres que mantém relacionamento duplo são vistas de tal maneira, mas para os ditos HOMENS, quanto mais melhor, e assumem sua postura de Sultão numa sociedade tida como monogâmica. Alguns mais liberais deixam bem claro e avisado que deves ser discreta com seus relacionamentos, “como? Não entendi?”

A exigência masculina em relação à parceira só muda de nome:

– De liberdade para discrição…

Compreendo que o que todos querem é se sentirem amados e amando, mas será que o amor dói?

Dependendo dói e muito… Principalmente quando essa tal liberdade concedida pelo masculino é vista pelo feminino como indiferença.

Vai visitar sua mãe hoje? Quer dinheiro para ir ao shopping? Huuummmm! Claro! Ele (a) quer sair!

A liberdade nesse caso funciona, pois concedestes a liberdade ao outro, mas depois, Huuummmm! O questionário que ele (a) faz é de três livros e meio, que sobreviverão dias, mas se ele (a) não perguntar nada, a dedução é que ele (a) não me ama mais.

Esfriou! O relacionamento congelou!

Pois claro está que nos aprisionamos nas exigências dos outros por causa do medo de encarar os sentimentos, se sentir rejeitado (a).

Acredito que não devemos exigir do outro o que não temos para dar, e exigências sempre são limitadoras do prazer de dar e receber reconhecimento com GRATIDÃO!

Mas se concedo ao outro a liberdade é porque posso concedê-la a mim.

Aí adeus insegurança!!!! Aceito todos igualmente como são, pois aceito a mim em primeiro lugar.

Claro é que se não tenho a liberdade não posso dá-la. Se quiser ser livre tenho que me libertar das amarras que construí para mim em primeiro lugar, pois o amor não é um objeto para ser conquistado…

O amor é algo que apenas podemos dar e quanto mais darmos incondicionalmente, mais teremos em abundância.

O amor não dói, é perdão…, perdoar dói? Não! O perdão liberta…

Perdão é entrega e aceitação do momento presente exatamente como ele é, nem mais nem menos é uma medida exata.

Dar o primeiro passo para a liberdade e a segurança é o maior ato de amor que podemos conceder á nós mesmos.

Para vivenciarmos a liberdade, a segurança e tantas outras qualidades, devemos em primeiro lugar fazer escolhas, decidir o que queremos e aceitar que o merecemos e além do mais acreditar que podemos tê-lo.

O medo é a única emoção que nos limita e por isso controla todas as nossas experiências de vida.

Todas as pessoas gostariam de Ser, Fazer ou Ter experiências diferentes daquelas que normalmente têm. No entanto, algo as paralisa na obtenção desse desejo, que de outro modo já estaria realizado. quiser ser livre tenho que me libertar das amarras que construí para mim em primeiro lugar, pois o amor não é um objeto para ser conquistado…

O amor é algo que apenas podemos dar e quanto mais darmos incondicionalmente, mais teremos em abundância.

O amor não dói, é perdão…, perdoar dói? Não! O perdão liberta…

Perdão é entrega e aceitação do momento presente exatamente como ele é, nem mais nem menos é uma medida exata.

Dar o primeiro passo para a liberdade e a segurança é o maior ato de amor que podemos conceder á nós mesmos.

Para vivenciarmos a liberdade, a segurança e tantas outras qualidades, devemos em primeiro lugar fazer escolhas, decidir o que queremos e aceitar que o merecemos e além do mais acreditar que podemos tê-lo.

O medo é a única emoção que nos limita e por isso controla todas as nossas experiências de vida.

Todas as pessoas gostariam de Ser, Fazer ou Ter experiências diferentes daquelas que normalmente têm. No entanto, algo as paralisa na obtenção desse desejo, que de outro modo já estaria realizado. O que é que nos impede de estarmos felizes?

Precisamente o fato de não materializarmos os nossos desejos.

E porque não o fazemos?

Por causa do medo! De que se fizer o que eu quero o outro fará também e eu não quero que ele faça o que eu faço!

Então tenha para com os outros atitudes respeitosas, não espalhe mais infelicidade no mundo, faça para os outros aquilo que gostarias de ter para ti mesmo e aceite receber, dê a si mesmo este prazer de ser LIVRE! E cheio de atitudes amorosas.

Liberte-se!

Sucesso!

Todo o problema é o querer se livrar do problema…

Temos reprimido muitas coisas ao longo dos anos, não passamos de um monte de repressões acumuladas sobre camadas de inconsciência.

Algumas coisas devem ser entendidas:

A tensão só se instala quando queremos nos livrar do problema, da situação do momento presente, é uma profunda resistência ao momento presente como ele é.

Quando resistimos ao momento presente uma segunda tensão se instala em nós, agora ficamos tensos porque não conseguimos relaxar.

Então nos movemos numa regressão infinita, e ocorre aí uma grande frustração pela vida, uma resistência ao que é uma frustração por não ter conseguido atingir seus objetivos, e quando os atinge não está completamente feliz, sente que lá no fundo está faltando alguma coisa.

A tensão se instalou e nos vemos completamente identificados com a situação e uma grande necessidade de se livrar dela; agora todo o problema se tornou à necessidade de se livrar do problema, o problema, e o querer se livrar do problema; o problema em si não é o problema, mas o querer se livrar dele é todo o problema.

Quando temos um problema o dividimos em duas partes o problema e o desejo de se libertar dele.

Liberdade, paz, harmonia, é uma profunda aceitação de não fazer nada além de perceber e aceitar o momento presente exatamente como ele é.

Se permitires que as tensões, as repressões, seus desejos mais profundos se tornem conscientes, te libertas deles, livra-te do peso destes condicionamentos, eles evaporam, desaparecem, e então te libertas de milhares de anos de condicionamentos individuais e coletivos.

Ao percebermos a tensão, estamos dando o primeiro passo para o bem estar vital à vida, para a harmonia, para a felicidade, para a calma, para a iluminação, mas ainda é o primeiro passo.

Quando apenas percebemos a situação, sem interferir, sem julgar seja lá o que for se permanecermos como um espectador, um observador apenas; passamos a experimentar a vida por completo, nos rendemos ao divino, nos desidentificamos do mundo das formas e acessamos um espaço de plenitude, um poder, uma confiança, uma certeza e fé, uma calma e paz.

É uma grande experiência descobrirmos quem somos voltar-nos para dentro de nós mesmos é sentir a paz que nunca nos abandonou e que não tem como nos deixar, apenas por um momento de inconsciência nos deixamos enredar por pensamentos desarmônicos e só perdemos a paz quando estamos enredados em tais pensamentos, portanto a paz não é algo que podemos perder, ela já está em nós.

Quando vivenciamos esta paz estamos dando um passo para a iluminação acessamos um poder imenso, mas este poder não acontece de uma maneira forçada, acontece naturalmente, não é preciso fazer nada, é uma explosão, um acontecer, um despertar!

Saiba qual é seu verdadeiro problema?

Um homem que após dois anos de sua aposentadoria apresenta um quadro de câncer. Uma mulher que não sabendo expressar sua raiva desenvolve um distúrbio gastrointestinal. Uma criança, que protesta através de sua febre. O corpo fala através de suas doenças, de seus órgãos, de suas aflições. Toda angústia psíquica pode gerar seu equivalente somático, sendo então a doença uma manifestação das dificuldades emocionais, frente as quais o paciente encontra esta forma de expressão.

O corpo, em suas dores, se transforma em um mapa dos acidentes emocionais do indivíduo. Não falaremos mais então de doenças e sim do “doente”, pois nossas dores dizem quem somos e de nossas aflições. Um terço de todas as doenças, são de origem exclusivamente Psicossomática e o outro terço, apesar da existência de uma determinação orgânica, possui fortemente o fator psíquico influenciando em sua evolução.

Apesar da determinação emocional das doenças terem sido quase completamente esquecida, em prol de um mecanismo onde o indivíduo não mais era visto de forma sistêmica, mas dissecado, repartido, como se as partes funcionassem de forma independente do todo, a tendência atual da medicina é se tornar um estudo Psicossomático, onde a variável será o grau de determinação Psíquica ou orgânica, envolvida em cada quadro patológico. O diagnóstico da Doença Psicossomática não deve ser realizado apenas pela exclusão da possibilidade orgânica, mas por suas próprias características. O estudo da personalidade do paciente é tão importante, quanto todos os exames clínicos e laboratoriais.

Podemos então dividir estas patologias em dois grupos:

• Os pacientes que não apresentam uma doença física definida que possa justificar uma moléstia, e que não tenha sido diagnosticado como uma doença orgânica, não significa a inexistência da doença. Ele não deve abandonar e nem ser abandonado dentro de sua sintomatologia.

• Pacientes com sintomas orgânicos presentes, mas influenciados por fatores emocionais (cardiopatias orgânicas, por exemplo) onde o fator psíquico já acarretou um dano físico ou influencia na evolução e na incidência do mesmo, quando fatores emocionais estão associados a doença orgânica atual pouca atenção é dispensada os fatores emocionais. Erroneamente tratam-se os pacientes como se seus sintomas físicos fossem suficientes para explicar a doença.

Assim como não se deve eliminar o tratamento da doença orgânica quando se trata de pacientes com somatização, não se podem eliminar os fatores psicológicos envolvidos na evolução das doenças orgânicas. Conhecer a capacidade do paciente em se ajustar a determinadas situações na vida, seu padrão de reação, grau de angústias, a natureza e a gravidade de seus conflitos, são conhecimentos indispensáveis na elucidação diagnóstica e na consideração da estratégia terapêutica mais adequada.. As emoções também falam através do corpo e dos sintomas. Não adianta atacar com remédios uma série de sintomas inespecíficos, enquanto o verdadeiro problema se encontra no Inconsciente do paciente. E o estudo Psicossomático é exatamente isto, uma possibilidade de se conhecer o paciente de forma integral, onde o sintoma é conseqüência de multifatores, inclusive ou talvez, principalmente os emocionais.

HIPERMOBILIDADE ARTICULAR

A Hipermobilidade Articular atinge 30% da população, os portadores são aquelas pessoas que conseguem se esticar como o professor de educação física pede. Eles encostam as mãos no chão inclinando apenas o tronco, estica os joelhos para trás e coloca o polegar no antebraço.

hipermobilidadeTudo isso sem sacrifício e aí está uma das provas da sua elasticidade exagerada, fora dos padrões esperados de flexibilidade. Os movimentos realizados chamam a atenção pela amplitude e pelo fato de serem impossíveis para uma pessoa considerada normal. Os contorcionistas dos circos são um exemplo clássico dos níveis de flexibilidade articular que um portador do defeito genético pode alcançar.

A patologia é um defeito genético dos tecidos moles tais como tendões, ligamentos e músculos. Este caso genético pode desencadear muitos problemas para a saúde como tendinites, bursites, lesões de ligamentos, desvios na coluna vertebral e nos joelhos e até mesmo a incontinência urinária. Descobriu que o problema é causado por uma frouxidão das articulações corporais. Em uma pesquisa sobre o assunto, concluiu-se que grande parte das queixas de dores na coluna, no ombro, no joelho e muitas outras, entre trabalhadores de indústrias, são identificados casos de portadores de Hipermobilidade. Somente na indústria têxtil, foram encontrados 27,7% dos casos. “Há muitas pessoas que procuram os consultórios reclamando de dores no corpo e o diagnóstico de Hipermobilidade nunca foi feito. O ideal seria que em toda rotina de exame físico se incluísse o teste para detectar o portador. Mas este teste ainda é desconhecido pela maioria dos profissionais da saúde.”

“A flexibilidade corporal faz com que o paciente perca o eixo do corpo. É como se o paciente perdesse o equilíbrio do corpo, sem perceber que isso acontece.” A flexibilidade varia de acordo com o sexo, idade, raça entre outros e pode estar relacionada a algumas doenças como a Síndrome de Hellers Danlos e à composição corporal (com o predomínio de algumas fibras colágenas) a síndrome é resultado da seleção natural. Alguns grupos apresentam maior incidência como as mulheres e os negros. As crianças manifestam a Hipermobilidade de forma mais acentuada e a amplitude dos movimentos pode ficar menor com o passar do tempo. Não há um consenso para quais os níveis ideais de flexibilidade para a saúde de um indivíduo. “O que podemos afirmar é que movimentos como tocar as mãos nos pés ao fletir o corpo para frente não é uma tarefa considerada normal. O esperado é que se consiga, mas com um pouco de dificuldades”, adolescente são sérias vítimas de escoliose por causa da própria Hipermobilidade Vertebral, e isso é frequente, pois seus períodos de má postura faz com que o desalinhamento das vértebras sejam constantes.

Consulte-nos e saiba do diagnóstico tratamento e prevenção.

QUIROPRAXIA PEDIATRICA – TRATAMENTO ENURESE NOTURNA

Pesquisas mostram o beneficio da Quiropraxia para as crianças que sofrem “Enuresis Nocturno”, mais conhecido como hábito de urinar na cama. O “Jornal of Manipulative and Physiological Therapeutics”, em artigo recente, mostra “uma melhora importante em crianças com este problema quando comparadas com crianças que não receberam os cuidados da Quiropraxia”.

Foram pesquisadas 171 crianças que sofriam enurese, em média de sete noites por semana. Com o tratamento quiroprático as noites molhadas se reduziram para quatro por semana e após o primeiro mês do tratamento, 75% das crianças mostraram uma redução de 50%. Surpreendentemente, em algumas crianças a melhora é imediata, bastando o primeiro ajuste de Quiropraxia. Estes procedimentos dispensam o uso de medicamentos para corrigir a disfunção. Em outras palavras, os profissionais consideram o ajuste a melhor maneira de tratar o problema, em vez de dar remédios para as crianças, sendo considerado o fator psicossomático (medos) que é um dos maiores vilões da infância.

Um exame precoce pode detectar a disfunção articular, corrigindo-a facilmente,

se a disfunção articular não for corrigida ela pode comprometer a medula espinhal ou os nervos que controlam os músculos e os órgãos da criança. Em alguns casos, a disfunção articular sem correção pode causar deformidades na coluna vertebral que se apresentara na fase da adolescência.

• Preocupações, QUANDO seu filho pratica esportes regularmente, um empurrão nas costas num jogo de futebol ou basquete pode machucar uma coluna jovem, tirando uma vértebra de seu alinhamento. A quiropraxia pode fazer mais do que corrigir este problema; ele também pode ajudar a melhorar o desempenho desse atleta-mirim, ajudando o corpo a funcionar em nível ótimo, naturalmente, sem estresses e sem medicamentos.

Seu filho pode aprender bons hábitos de saúde desde pequeno, colhendo os benefícios na idade adulta, cuide do seu maior patrimônio, a “Saúde”

Dor de Crescimento

Que as crianças fazem de tudo para chamar a atenção dos pais, ninguém duvida. Mas, e aquele menino que acorda chorando no meio da noite, reclamando de dor na perna? Ou aquela garotinha de 6 anos que sequer consegue pegar no sono por conta do mesmo problema?

De acordo com o ortopedista Lafayette Lage, especialista em Medicina Esportiva e cirurgias de quadril, 25% das crianças sofre de dor de crescimento. É uma causa das mais comuns de consultas em reumatologia pediátrica, sempre nos deparamos com uma criança normal, saudável, ativa, que refere ter episódios repetitivos de dores nas pernas. Essas crises podem ser diárias ou esporádicas, em geral a dor é bilateral, profunda e intensa principalmente no final da tarde ou à noite.

A criança vai dormir bem e acorda chorando de dores nas pernas ou lombar, massagem dos pais reflete alívio superficial, momentâneo, outras crises decorrem em horas mais tarde ou dias seguintes. É comum a ausência de inflamação, inchaço ou vermelhidão, nada aparente pode se notar, apenas a resposta verbal da criança. Duvidar da criança pode ser uma falha de conduta dos pais no momento crucial da formação.

Suas atividades e peraltices podem alterar a forma da báscula da pelve (bacia lombar) quando os pais percebem que a reclamação de dor é frequente, persistente, se estendendo do início da noite ao começo da manhã do dia seguinte, deve-se desconfiar de que alguma coisa esteja acontecendo.

A Quiropraxia pediátrica avalia toda a constituição ortopédica segundo a formação da fase, liberando articulações, pinçamento e sub-fixação muscular, um olhar clínico pode mudar a trajetória desastrosa de uma escoliose ou cifose, quando reconhecido logo na infância, onde o início de desvios ortopédicos visíveis dá-se em maior número a partir dos 5 anos.

Como emagrecer melhorando a postura

Tudo começa com um pressuposto simples: o nosso corpo está todo interligado.

posturaO ponto relevante aqui é: os abdominais e as costas estão diretamente relacionados, na medida em que formam uma espécie de “cinta” á volta do corpo. Isto significa que a sua barriga depende da forma como anda e se senta, ou seja, da sua postura. Significa ainda que a força do seu estômago também influencie a sua postura. Quer perder essa barriguinha? Endireite-se e sente-se com as costas direitas, de preferência encostadas à cadeira. Vê a diferença?

Caminhar e sentar com as costas direitas o afeta de imediato. Primeiro porque nessa posição, a barriga não é tão visível, aparentando ser mais magro. Segundo, ao assumir uma postura correta, fortalece as costas, o que por sua vez, torna mais fácil manter essa postura por mais tempo. Em terceiro lugar, uma postura errada provoca dores nas costas, dificultando assim o exercício.

Uma postura correta ajuda a identificar melhor e a eliminar a gordura acumulada na barriga. Ajuda também na circulação sanguínea. O sangue flui livremente pelo seu corpo, especialmente para o baixo torso e pernas, partes vitais nos exercícios abdominais. Esticar as costas

Deite-se de barriga para baixo e coloque a testa no chão, ou use algo mais confortável. Com os braços paralelos ao corpo e com as palmas das mãos voltadas para cima, contraia as costas e tente levantar a parte de cima do corpo. Aguente a contração um pouco e relaxe. Lentamente, volte à posição de partida, com a barriga no chão, e prepare-se para repetir de novo o processo. Em seguida, imagine que é um super herói, e estique os braços bem acima da cabeça. Mantendo esta posição, levante as duas pernas ao mesmo tempo e aguente por uns momentos, voltando a baixá-las em seguida. Estes dois exercícios podem ajudá-lo a fortalecer as costas e a corrigir a sua postura. Estes passos permitem-lhe perder de vista essa “lomba” que carrega. Pode continuar a exercitar as costas, Lembre-se, no entanto, de consultar profissionais antes de começar, e de fazer o aquecimento antes de qualquer exercício.

A Quiropraxia por sua vez alinha o empilhamento vertebral proporcionando uma postura ereta, passo que aplica sessões de Quiropraxia o corpo instintivamente entende sua memória por ressonância de como é ficar correto. Consulte-nos; Atendimento com horário agendado.

Joelho Varo ou Valgo, as famosas pernas tortas

No período de crescimento a criança pode apresentar algumas deformidades nos membros inferiores. Dentre estas, podemos encontrar algumas deformações nos joelhos do bebê, que recebem o nome de geno varo (quando voltados para fora) e geno valgo (voltados para dentro).

varo Para fazer um diagnóstico preciso é necessário examinar sua cintura ilíaca, e o histórico clínico, avaliar se há alguma associação com o fator genético, se é reflexo de um trauma anterior, causado por doença congênita ou por carências nutricionais. Mais freqüente nos bebês mais jovens (geralmente entre 14 e 36 meses de vida), o joelho varo é caracterizado pelo arqueamento dos membros inferiores, percebendo-se um afastamento entre os joelhos. (semelhante ao cowboy). Na tentativa de compensar este arqueamento outras articulações como o tornozelo e o quadril também podem apresentar alterações. Às vezes, o desalinhamento dos joelhos pode ser causado por anormalidades nos quadris. Não são comuns queixas de dor, desequilíbrio da postura ou maior tempo necessário para o nenê começar a andar. Nos primeiros três anos de vida pode ocorrer um varismo fisiológico, que não costuma demandar tratamento específico somente observação dos pais.

valgoOs joelhos valgos são, ao contrário, voltados para dentro, ou seja, muito juntos (em “X”). Geralmente são encontrados em crianças maiores, atingindo a faixa dos dois aos sete anos de idade. O joelho valgo pode originar outras alterações, como o pé pronado e plano. A locomoção e as atividades físicas da criança com valgismo leve se dão normalmente, ainda que esteticamente os joelhos em “X” possam incomodar os pais e o próprio paciente. Os casos mais graves de valgismo podem causar dificuldade de locomoção, cansaço nos membros inferiores, aumento do esforço e lesões nos joelhos e manchas de assaduras entre as coxas.

Na maior parte dos casos, a correção do problema acontece de maneira gradual e espontânea até os dez anos de idade. A forma como o tratamento será conduzido depende do grau de deformidade e da idade do paciente, envolvendo procedimentos clínicos da Quiropraxia.

Indicação de tratamento na fase infantil, pois a correção acontece homogeneamente com o crescimento. Consulte-nos para um diagnostico preciso, Fique de olho nas perninhas do seu filho!

A Inconsciência Secreta – Noite de autógrafos

Após o lançamento do livro A Inconsciência Secreta no último dia 19, em São Paulo, convido você para a noite de autógrafos em Itapetininga.

Será um imenso prazer recebê-lo na Livraria Nobel do Itapetininga Shopping, em 10/08/2012, das 18:30h às 21:30.

Veja as fotos da noite de lançamento do livro clicando aqui.